Aperte enter para pesquisar

Regional

Saúde faz alerta de febre amarela em macacos na região

O setor de epidemiologia da Secretaria de Saúde de Irati informa a confirmação da circulação viral do vírus da febre amarela

Assessoria

-

09 de janeiro de 2020

O setor de epidemiologia da Secretaria de Saúde de Irati informa a confirmação da circulação viral do vírus da febre amarela em macacos na nossa região. Foram confirmados casos em dois primatas não humanos no município de Teixeira Soares, e um no município de Imbituva.

 

Em razão disso, levando em consideração a Nota Técnica SESA/PR nº 002/2019 e o Ofício Circular nº 136/2019/SVS/MS, que recomendam esquema de vacinação diferenciado e outras medidas de prevenção, a Secretaria de Saúde de Irati traz algumas orientações à população de Irati.

 

Gestantes não vacinadas devem receber uma dose de vacina contra Febre Amarela, em qualquer período gestacional, desde que não apresentem contraindicações à vacinação, após avaliação do Serviço de Saúde.

 

Mulheres que estão amamentando crianças de zero a seis meses de idade não vacinadas, devem receber a dose de vacina contra Febre Amarela. Nesses casos o aleitamento materno deve ser suspenso por 10 dias após a vacinação. As lactantes devem procurar um serviço de saúde para orientação e acompanhamento, a fim de manter a produção do leite materno e o retorno à lactação.

 

Pessoas com mais de 60 anos, não vacinadas, devem receber a dose da vacina contra Febre Amarela após avaliação do serviço de saúde, com objetivo de identificar alguma contraindicação para vacinação.

 

Recomenda-se ainda, independente de situação vacinal, que façam uso de medidas de proteção individual, tais como repelentes, telas em janelas, mosquiteiros, calças e blusas com mangas compridas e evitem deslocamento a áreas de risco.

 

Para informações sobre vacinas, os telefones da Epidemiologia de Irati, são 3907 3155 e 9 9104 1938.

 

Crianças de quatro anos devem ter dose de reforço

Em dezembro último, o Ministério da Saúde, divulgou o Ofício 134/17, que trata, dentre outros assuntos, da atualização das indicações da vacina febre amarela. No documento, está incluída uma dose de reforço para as crianças de quatro anos, embasado em estudo brasileiro, onde foi identificado uma queda precoce nos níveis esperados de anticorpos neutralizantes a partir desta idade. Após 4 anos da vacinação, menos de 60% das crianças apresentavam níveis esperados de anticorpos neutralizantes considerados protetores.

 

Portanto, em 2020, as crianças de quatro anos recebem, além das outras vacinas do calendário de vacinação, uma dose de reforço da vacina contra a febre amarela.

 

Contraindicações à vacina da febre amarela

Há alguns casos de contraindicação à vacina, como o de pessoas com imunossupressão secundária à doença, ou terapias imunossupressoras, como quimioterapia e radioterapia. Também é considerado o uso de corticoides acima de 2mg/dia de prednisona ou equivalente para crianças, e acima de 20mg/dia para adultos, por tempo superior a 14 dias).

 

Pacientes em uso de medicações anti-metabólicas ou medicamentos modificadores do curso da doença, como Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe, Canaquinumabe, Tocilizumabe e Ritoximabe).

 

Transplantados e pacientes com doença oncológica em quimioterapia, e pacientes com história pregressa de doença do timo, como miastenia gravis e timoma.

 

Pessoa vivendo com HIV/AIDS com imunodeficiência grave e pessoas com reação alérgica grave ao ovo.

 

Orientações às gestantes

  • Fazer o acompanhamento com consultas de pré-natal, realizando todos os exames recomendados pela equipe de saúde.

 

  • Evitar o deslocamento para áreas endêmicas e com risco de transmissão da Febre Amarela.

 

  • Atentar para sinais e sintomas como febre alta de início súbito, associada a dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômitos, dor no corpo, dor abdominal.

 

  • Aceitar a vacinação em qualquer período gestacional e em período de amamentação, caso residam em municípios com casos de febre amarela confirmados em humanos ou primatas, como também nos municípios limítrofes.

 

  • Adotar medidas de proteção individual contra mosquitos como a manutenção de portas e janelas fechadas ou utilizar redes de proteção, usar calça comprida e camisa de manga longa e utilizar repelentes indicados para gestantes.

 

Orientações à população idosa

  • Idosos acima de 60 anos sem comorbidades ou com comorbidades compensadas, residentes em Irati ou outro município que faz divisa com Teixeira Soares e Imbituva, que não possuam nenhuma contraindicação previamente citada à imunização, e que nunca receberam uma dose da vacina contra Febre Amarela, devem ser vacinados.

 

  • Os demais deverão passar por avaliação individualizada, com profissional da saúde para avaliação de risco benefício da vacinação. A fim de embasar a decisão clínica, sugerimos considerar o grau de fragilidade identificado pelo instrumento IVCF-20 e a classificação clínico-funcional do idoso, disponíveis na Linha Guia da Saúde do Idoso.

 

  • Reitera-se que, na avaliação do risco benefício da vacinação do idoso, sejam considerados além de parâmetros clínicos, o grau de exposição da pessoa ao vírus, de acordo com a localização geográfica (área rural ou de matas), características ocupacionais e recreacionais (visitas a parques, rios ou reservas ecológicas, entre outros).

 

  • Eventos adversos graves à vacinação têm sido reportados em idosos em casos raros. Entretanto, considerando a situação epidemiológica atual, o benefício da vacinação supera o risco de eventos adversos graves, devendo-se sempre realizar decisão compartilhada com o paciente e familiares.

 

Definição

Define-se como caso humano suspeito de febre amarela, paciente com febre até sete dias, não vacinado, que tenha estado em áreas de matas ou rios, ou áreas de circulação viral comprovada nos últimos 15 dias, associado a um ou mais dos seguintes sinais e sintomas: dor de cabeça, náusea, vômitos, dor muscular, articular, abdominal e lombar, icterícia, coloração escura da urina, redução grande do volume urinário, fenômenos hemorrágicos e alteração de consciência.

 

Conduta diante de morte de macacos

Outra situação importante, que deve ser alertada à população é sobre a conduta a ser tomada diante da ocorrência da morte de macacos.

 

Se algum morador se deparar com algum caso de macaco morto, esse não deve em hipótese alguma, tocar no animal.

 

A Vigilância Sanitária deve ser acionada imediatamente para tomar as medidas cabíveis. O telefone da Vigilância Sanitária é 3907 3147 em horário comercial, e o plantão 9 9134 2844.

 

Compartilhe essa matéria!

Receba as notícias do Portal Clique no celular!

Comentários

Notícias Relacionadas

OPORTUNIDADE

CIEE disponibiliza vagas de estágios para Irati e região

IRATI: - 08 vagas de estágio para estudantes de Ensino Médio noturno; - 02 vagas de estágio para estudantes de Ensino Médio matutino; -...

OPORTUNIDADE

Estudantes poderão usar a nota do Enem para ingressar no Ensino Superior com Bolsas de até 100%

Aguardado por quase 4 milhões de estudantes que fizeram as provas em 2019, o resultado do Exame Nacional do Ensino Médio – Enem foi divulgado...

2020

Inscrições para o concurso Miss Rio Azul já estão abertas

As inscrições para o concurso Miss Rio Azul já estão abertas. Em 2020, a disputa será dividida em quatro categorias, sendo Miss Rio Azul, Miss...