Aperte enter para pesquisar

Paraná

Sanepar detém patente para produzir etanol a partir do esgoto

Da Redação

-

06 de novembro de 2020

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) obteve nesta semana patente para a produção de biocombustível a partir do processo de tratamento de esgoto. A patente foi requerida pela Sanepar, em parceria com a Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro).

 

A nova tecnologia, registrada no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), utiliza algas de lagoa anaeróbia de estações de tratamento de esgoto para produzir etanol de terceira geração. A pesquisa foi desenvolvida no curso de mestrado em Biologia na Unicentro pela bióloga Márcia Mendes Costa Guareski, que trabalha na Sanepar em Guarapuava.

 

Durante a pesquisa, foram utilizados efluentes das lagoas da estação de tratamento de esgoto da cidade de Nova Laranjeiras e do Reator Anaeróbio de Fluxo Ascendente (UASB) da ETE Vassoural, em Guarapuava. O estudo tinha como objetivo dar destino às algas que se proliferam nas lagoas de tratamento anaeróbio e precisam ser removidas para reduzir a carga orgânica e a cor do efluente.

 

Ao avaliar alguns parâmetros, como o tempo de hidrólise da biomassa, o teor alcoólico obtido e o volume produzido por tonelada seca de alga e comparar com a produção de etanol obtido pela cana-de açúcar, a pesquisa mostrou que o processo de esgoto é bastante favorável na geração do biocombustível.

 

O bioetanol feito com a biomassa apresentou teor alcoólico de 96%, portanto dentro da classificação especificada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) de teor alcoólico de 92,5% a 99% para o etanol combustível.

 

ETANOL SUSTENTÁVEL – O etanol é classificado como sendo de primeira, segunda e terceira gerações, conforme a matéria prima que lhe deu origem. A produção de etanol a partir de culturas sacarinas e amiláceas (cana-de-açúcar, beterraba, milho, trigo, batata) é de primeira geração, sendo um processo simples e já implementado industrialmente.

 

Mas não é o processo mais sustentável de produção de combustíveis, pois provoca pressão sobre o preço dos alimentos, causa degradação acelerada dos solos e consome grandes quantidades de água. Além disso, a produção de etanol está sujeita à sazonalidade das culturas.

 

A biomassa lenho-celulósica, após hidrolisada e com seus açúcares fermentáveis expostos, dá origem ao etanol de segunda geração. Embora o processo de produção seja mais complexo e dispendioso, não utiliza matérias primas destinadas à alimentação humana e animal.

 

Os coprodutos, como as algas e microalgas, são representantes do etanol de 3ª geração, sendo a única matéria prima sustentável capaz de assegurar a produção de biocombustíveis. Essa produção terá menor impacto ambiental, sem competir por espaço com as culturas alimentares

 

Agência Estadual

 

Compartilhe essa matéria!

Receba as notícias do Portal Clique no celular!

Comentários

Notícias Relacionadas

ALEP

Por unanimidade, ALEP aprova REFIS para empresas paranaenses afetadas pela pandemia

Por unanimidade e num único dia, a Assembleia Legislativa aprovou, na tarde desta segunda-feira (23), projeto de lei de apoio às empresas...

PARANÁ

Boletim relata mais 707 diagnósticos positivos e 27 mortes pela Covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (23) mais 707 diagnósticos e 27 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo...

ESTADO

Educação confirma prova para seleção de professores PSS

A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte informa que o Processo Seletivo Simplificado (PSS) para professores já ultrapassou a marca de 35...