Aperte enter para pesquisar

Rural

Paraná deve produzir 38,6 milhões de toneladas de grãos na safra 2020/21

Volume representa 6% menos do que o produzido na safra anterior, segundo estimativa da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento. Seca e geadas afetaram as principais culturas do Estado, como o milho e o feijão, e também aumentaram o custo de produção para os agricultores.

Da Redação

-

28 de maio de 2021

O relatório mensal do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, indica que a safra 2020/2021 no Paraná deve gerar um volume de 38,6 milhões de toneladas de grãos em uma área de 10,4 milhões de hectares. Esse índice de produção representa 6% menos do que o produzido na safra 2019/2020, em uma área 3% maior.

 

De acordo com os dados deste mês, adversidades climáticas como a seca e, mais recentemente, as geadas, impactaram no desenvolvimento das principais culturas do Estado, como o milho e o feijão. Essas dificuldades também resultaram em um alto custo de produção para os agricultores.

 

 

Além da seca, a redução das expectativas de produção decorre do atraso na semeadura da safra de soja e na semeadura da safrinha de milho. “Portanto, ganha relevância a recente iniciativa do Governo do Estado de estimular o uso de irrigação nas propriedades rurais, tanto quanto possível, para mitigar riscos, aumentar a produtividade e até cooperar, a médio prazo, para a redução do custo do seguro rural”, diz o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara.

 

A segunda safra de feijão, a exemplo do ocorrido no ano passado, foi prejudicada pela falta de chuvas em praticamente todo o ciclo vegetativo. O Deral estima uma redução de 38% na produção, comparativamente às 502 mil toneladas previstas no início da safra. Agora, estima-se um volume de 310 mil toneladas.

 

Quanto à segunda safra de milho, é esperada a produção de aproximadamente 10,3 milhões de toneladas, redução próxima de 4,4 milhões, na comparação com a estimativa inicial, perda de 30%. A quebra na safra de milho deve-se principalmente à estiagem que atinge o Estado, com chuvas irregulares e ausência de chuvas nos períodos críticos para o desenvolvimento das plantas.

 

Saiba mais em  AEN

Compartilhe essa matéria!

Receba as notícias do Portal Clique no celular!

Comentários

Notícias Relacionadas

FRUTICULTURA

Florada dá sinais de que a safra de ameixas e pêssegos será a melhor dos últimos anos na região

A colheita de ameixas e pêssegos deve ser muito boa em 2021. Os sinais já são visíveis, com a florada acima do comum. Em Fernandes Pinheiro, na...

RURAL

Agricultura orgânica abastece escolas e entidades assistenciais de Irati

Aproximadamente 60 agricultores de Irati produzem alimentos orgânicos, que em 2021 ganharam espaço nas refeições de alunos das redes municipal e...

GEADAS

IDR-Paraná e Simepar alertam agronegócio para risco de geadas no Estado

O Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-PR) e o Simepar – Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná...