Aperte enter para pesquisar

Rural

O preço do milho vai bater novos recordes na semana que vem?

O clima é o principal ponto de atenção neste momento, seja no Brasil, na Argentina ou nos Estados, e deve mexer com as cotações

Da Redação

-

24 de abril de 2021

Produtores de milho permanecem com um olho na segunda safra e outro no mercado. Nos últimos dias, as cotações vêm renovando os recordes, com uma forte demanda aliada à valorização do cereal no mercado internacional também.

 

Então, é hora de vender ou é melhor segurar? O analista Fernando Iglesias, da Safras Consultoria, separou os principais pontos de atenção para a semana que vem. Fique ligado e faça bons negócios!

 

 

  • O mercado brasileiro de milho segue enfrentando graves problemas de abastecimento com recordes de preço sendo superados diariamente;

 

 

  • Mesmo a isenção de tarifas de importação tem pouco efeito prático sobre o mercado, no geral trazer milho de outros países ainda é uma operação bastante dispendiosa;

 

 

  • O clima seco em grande parte do Centro-Oeste é um complicador relevante, avaliando as incertezas acerca da produtividade da safrinha;

 

  • O custo do frete permanece acentuado, em plena colheita da safra de soja. Ou seja, trazer milho de outras regiões produtoras também é uma operação onerosa;

 

 

  • O abastecimento tende a se normalizar apenas com a entrada da safrinha no mercado, este ano de maneira tardia, ofertas relevantes devem ser disponibilizadas apenas em agosto;

 

  • No mercado internacional também é precificada a preocupação em torno do clima na América do Sul, com problemas no Brasil e na Argentina;

 

  • O mês de abril também é pautado pelo início de um dos Weather Markets mais nervosos e voláteis dos últimos anos, há necessidade de safra cheia nos Estados Unidos, qualquer problema climático será precificado rapidamente e com intensidade;

 

 

  • A atuação da China no mercado internacional de milho é outro fator relevante, avaliando um possível aumento da demanda pelo cereal norte-americano;

 

  • Nesse caso, os dados de exportação semanal são um norte importante para o mercado, assim como também é relevante acompanhar a evolução dos preços na China, seja no mercado físico, quanto nos futuros da Bolsa de Dalian.

 

Fonte: Canal Rural

Compartilhe essa matéria!

Receba as notícias do Portal Clique no celular!

Comentários

Notícias Relacionadas

FRUTICULTURA

Florada dá sinais de que a safra de ameixas e pêssegos será a melhor dos últimos anos na região

A colheita de ameixas e pêssegos deve ser muito boa em 2021. Os sinais já são visíveis, com a florada acima do comum. Em Fernandes Pinheiro, na...

RURAL

Agricultura orgânica abastece escolas e entidades assistenciais de Irati

Aproximadamente 60 agricultores de Irati produzem alimentos orgânicos, que em 2021 ganharam espaço nas refeições de alunos das redes municipal e...

GEADAS

IDR-Paraná e Simepar alertam agronegócio para risco de geadas no Estado

O Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-PR) e o Simepar – Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná...