Aperte enter para pesquisar

Esportes

Multa de Ronaldinho ajuda menina que precisa do remédio mais caro do mundo

Da Redação

-

28 de agosto de 2020

Com 1 ano e sete meses, a criança é portadora da doença conhecida como AME. Foto: Reprodução

O ex-jogador Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Assis precisaram pagar uma multa de US$ 200 mil (cerca de R$ 1,1 milhão na cotação atual) para deixar o Paraguai após cinco meses de prisão. Uma parte desse valor, US$ 30 mil (equivalente a R$ 167 mil), será doada à campanha #TodosSomosBianca, uma ação social para ajudar Bianca Patiño Maiz.

 

Com 1 ano e sete meses, a criança é portadora da doença conhecida como AME (atrofia muscular espinhal), uma condição neurodegenerativa grave e rara que afeta a capacidade de andar, comer e respirar. No tipo 1, caso de Bianca, pode levar até à morte.

 

No ano passado, a farmacêutica Novartis lançou o Zolgensma, droga que promete curar a AME em crianças de até 2 anos com uma única dose. O problema é o custo. O Zolgensma sai por US$ 2,1 milhões, o equivalente hoje a R$ 11,7 milhões. O valor o fez ser considerado o remédio mais caro do mundo.

 

Desde dezembro de 2019, José Patiño e Tania Maíz, os pais de Bianca, têm encabeçado uma campanha junto a celebridades, influenciadores digitais e pessoas comuns para arrecadar o valor necessário ao tratamento. Correm contra o tempo porque o medicamento só faz efeito em crianças com até dois anos, idade que Bianca completará em dezembro. Com rifas, vendas e doações diretas, eles já conseguiram o equivalente a US$ 655 mil.

 

Há dois anos não havia nenhuma alternativa de tratamento, essas crianças simplesmente morriam”, conta Tánia, que é licenciada em obstetrícia, de Assunção. A bebê era atendida com outras drogas pela rede pública de saúde do Paraguai, mas o Estado descontinuou o tratamento alegando não ter orçamento suficiente. “A situação da saúde no Paraguai é uma lástima”, lamenta a mãe.

 

Quando Ronaldinho foi a Assunção em março para participar de ações de publicidade, Tánia e José viram uma oportunidade de conseguir mais visibilidade à causa da filha.

 

“Nunca foi nossa intenção pedir dinheiro ao Ronaldinho, o que queríamos era que ele promovesse em seu Instagram uma plataforma de doação internacional de que a Bianca faz parte”, revela.

 

Depois que Ronaldinho e o irmão foram presos por usar documentos com informações falsas, o contato com o ex-jogador ficou difícil.

 

Fizemos chegar a ele a história da Bianca por meio de pessoas que foram visitá-lo”, conta Tánia. Uma dessas pessoas foi a artista plástica Lili Cantero, que entregou chuteiras de presente a Ronaldinho no hotel em que ele cumpria prisão preventiva. O ex-jogador também doou aos pais da menina uma camiseta da seleção brasileira autografada.

 

Segundo a família de Bianca, foi o próprio Ronaldinho quem sugeriu que uma parte da multa fosse encaminhada ao tratamento. O Ministério Público e a Justiça concordaram. A outra parte do dinheiro será transferida a um hospital e usada no combate à pandemia do novo coronavírus.

 

Informações: Portal UOL

 

 

Compartilhe essa matéria!

Receba as notícias do Portal Clique no celular!

Comentários

Notícias Relacionadas

ESPORTE

Copa Wisa de Futsal Feminino terá rodada dupla no sábado

Na tarde de ontem (13), a Secretaria de Esporte e Lazer, anunciou em boletim oficial o recomeço da Copa Wisa de Futsal Feminino “Kátia Osinski...

ESPORTE

Sem público, Copa Imprensa recomeça na próxima quinta-feira

Diante do quadro de estabilidade da Covid 19 em Irati, após várias discussões, na semana passada, o Centro de Operações Especiais e...

FUTEBOL

Maringá vence o Prudentópolis e lidera a Segundona

Pelo Campeonato Paranaense da Segunda Divisão, após empatar dois jogos fora de casa, o Prudentópolis enfrentou o líder Maringá ontem (11) à...