Aperte enter para pesquisar

Rural

IDR-Paraná e Simepar alertam agronegócio para risco de geadas no Estado

Temperaturas baixas previstas poderão causar impactos negativos em culturas como hortaliças, tomate, milho, café, pastagem e frutíferas tropicais, entre outras. Porém, alguns cuidados podem ser adotados pelos agricultores para reduzir os efeitos.

Da Redação

-

27 de julho de 2021

© IDR-PARANÁ

O Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-PR) e o Simepar – Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná alertam que há previsão da chegada de uma forte massa de ar polar que deve provocar frio intenso em todo o Estado, no período de 27 de julho a 01 de agosto. Estão previstas geadas nas madrugadas de quarta (28), quinta (29) e sexta-feira (30), principalmente nas regiões Sudoeste, Sul, Central e Campos Gerais.

 

 

 

As temperaturas baixas previstas poderão causar impactos negativos em culturas como hortaliças, tomate, milho, café, pastagem e frutíferas tropicais, entre outras. Porém, alguns cuidados podem ser adotados pelos agricultores para reduzir os efeitos.

 

 

CAFÉ – A recomendação para os plantios novos de café, com até seis meses de campo, é enterrar as mudas. Viveiros devem ser protegidos com várias camadas de cobertura plástica ou aquecimento, com a opção de utilizar as duas práticas simultaneamente. Nos dois casos — lavouras novas e viveiros — a proteção deve ser retirada logo que a massa de ar frio se afaste e cessar o risco imediato de geada.

 

 

Nas lavouras com idade entre seis meses e dois anos, a recomendação aos produtores é amontoar terra no tronco das plantas até o primeiro par de folhas. Essa proteção deve ser mantida até meados setembro, e depois retirada com as mãos.

 

 

MILHO – Segundo coordenador de Grãos do IDR-Paraná, Edivan Possamai, a proteção não é viável no caso do milho por tratar-se de uma cultura de verão. A dica é que o agricultor mantenha sempre sua lavoura assegurada e que verifique o zoneamento de risco climático, para que o plantio seja feito na época certa e, assim, não corra o risco de perder o seguro.

 

 

GADO – Na pecuária de corte um dos principais problemas está na falta de pasto para alimentar os animais. A coordenadora de Pecuária de Corte do IDR-Paraná, Kátia Gobbi, informa que na região Norte e Noroeste, por exemplo, os pastos já acabaram por causa das secas e, também, das geadas.

 

 

A opção seria a suplementação com volumosos conservados (silagem, feno) e concentrada (milho, farelo de soja, etc). Mas o produtor precisa se organizar com antecedência, e é fundamental calcular a viabilidade econômica do sistema produtivo, já que são ações com maior custo em relação ao pasto. Nas regiões mais frias do Estado há, também, a opção das gramíneas de inverno, mais tolerantes ao frio.

 

 

FRUTAS – O coordenador de Fruticultura do IDR-Paraná, Eduardo Augustinho, explica que nas plantações de frutas os cuidados podem ser evitar o uso de Dormex, utilizar fumaça para aquecimento, a irrigação e manter as áreas limpas.

 

 

OLERICULTURA – Umas das culturas mais sensíveis às geadas, as folhagens precisam de muita proteção nestes dias mais frios. De acordo com Paulo Hidalgo, coordenador estadual de Olericultura do IDR-Paraná, algumas ações podem ajudar: cultivo protegido, que consiste em fechar o entorno das estufas; suspender a irrigação alguns dias antes, para evitar a formação de gelos nas folhas; aquecer as estufas usando o carvão e monitorar este aquecimento durante toda a noite e madrugada.

 

 

Em campo aberto a proteção é um pouco mais complexa, mas algumas medidas podem ajudar. Entre elas, cobrir os canteiros de folhagem com TNT e fazer o aquecimento com fumaça. Outra prática que pode contribuir para proteção de olericultura em campo aberto é a pulverização folear com sal, sistema que, se aplicado com antecedência, pode diminuir o ponto de congelamento das folhas.

 

 

SERVIÇO – O Alerta Geada é um serviço que funciona de maio a setembro com o objetivo de auxiliar os produtores a adotarem técnicas para proteção de cafezais.

 

 

Durante o período de operação do sistema, os pesquisadores acompanham as condições meteorológicas na região cafeeira do Estado e publicam diariamente um boletim informativo.

 

 

Além do informe diário, se houver aproximação de massas de ar frio com potencial de causar danos às lavouras de café, um alerta é emitido e amplamente divulgado com 48 horas de antecedência.

 

 

O boletim diário e os alertas de geada podem ser obtidos no aplicativo Iapar Clima, disponível gratuitamente na App Store e no Google Play. Também é possível receber os avisos pelo WhatsApp. Basta salvar nos contatos o número (43) 3376-2248 e enviar a mensagem “quero receber o Alerta Geada”.

 

 

Há, ainda, informações sobre o serviço Alerta Geada e proteção de cafeeiros sites do IDR-Paraná e do Simepar, ou pelo disque-geada (43) 3391-4500.

 

FONTE: AEN

Compartilhe essa matéria!

Receba as notícias do Portal Clique no celular!

Comentários

Notícias Relacionadas

RURAL

Irati terá Feira do Pêssego de 20/11 a 22/12

A Secretaria de Agropecuária, Abastecimento e Segurança Alimentar de Irati definiu as datas para a realização da Feira do Pêssego 2021. O...

RURAL

Valorizando a sustentabilidade, agricultores familiares da região recebem sementes crioulas

Produtores que integram a Associação dos Agricultores Ecológicos São Francisco de Assis, a ASSIS, receberam recentemente, através de um projeto...

RURAL

Piscicultura faz parte da formação de alunos da Casa Familiar Rural de São Mateus do Sul

Com apoio dos técnicos do IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná), em parceria com a Petrobras, os educadores da Casa Familiar...