Aperte enter para pesquisar

Regional

Copel investirá R$ 442 milhões no Centro-Sul e nos Campos Gerais em 2024

Assessoria

-

06 de fevereiro de 2024

Ampliação e modernização: Copel investe R$ 442 milhões no Centro-Sul do Estado em 2024

Montante integra os mais de R$ 2 bilhões que serão aplicados em obras de distribuição de energia em todo o Paraná ao longo do ano e vão reforçar a infraestrutura elétrica, além de contribuir para aumentar a qualidade do fornecimento de energia à população.

 

 

Uma parcela de R$ 117,9 milhões será direcionada a obras de alta tensão, que englobam a ampliação e modernização de subestações e linhas de distribuição. Um dos destaques é a fase final das obras para adicionar ao sistema a subestação Léa Martins, recém-construída em Ponta Grossa (Campos Gerais).

 

A companhia está instalando uma nova linha que vai conectar a unidade à subestação Sabará. São R$ 11 milhões destinados à nova linha e R$ 50 milhões ao empreendimento como um todo, o que inclui a própria subestação e outros trechos de linhas já concluídos.

 

 

Em Piraí do Sul (Campos Gerais) seguem as obras de construção da subestação homônima, que também vai operar em 138 mil volts. Com previsão para ser energizada no início de 2025, ela vai somar R$ 44,6 milhões em investimentos.

 

As melhorias na alta tensão, que ajudam a atender as demandas crescentes da região, também vão beneficiar a população de outros municípios. Em Prudentópolis, a Copel vai destinar R$ 15,8 milhões à ampliação da subestação que opera em 138 mil volts e leva o mesmo nome do município.

 

Em Imbituva, a unidade (138 mil volts), também homônima, ganhará R$ 23 milhões em obras de modernização. Ainda em 2024, a Copel vai aplicar R$ 1,5 milhão em melhoria na subestação de Cruz Machado (34,5 mil volts). Além desses empreendimentos, serão destinados mais R$ 36,4 milhões a obras menores em diversas subestações.

 

“Novas subestações e linhas contribuem para aumentar a capacidade de distribuição de energia aos centros de consumo. Elas são especialmente importantes em grandes centros urbanos, onde há uma demanda maior”, diz Edison Ribeiro da Silva, superintendente de Engenharia de Expansão da Copel.

 

Ele explica que, com novas unidades, é possível formar um anel elétrico, um conjunto de subestações ligadas em rede que funcionam como reforço umas das outras. “Isso significa que, se uma unidade apresenta um problema, uma das outras poderá atuar para que a energia seja distribuída por outras fontes, mantendo o fornecimento de energia à população”, completa.

 

PARANÁ TRIFÁSICO – Outros R$ 268,8 milhões serão direcionados para obras de média e baixa tensão, englobando a instalação de novas redes, modernização de equipamentos, substituição de transformadores e o atendimento às solicitações específicas dos clientes. Deste valor, R$ 141,3 milhões serão empregados em obras do Paraná Trifásico na região.

 

Com o programa, a Copel está ampliando e modernizando a infraestrutura elétrica no campo. As novas redes, além de mais resistentes, dispõem de equipamentos interligados e automatizados que, em caso de desligamentos, são capazes de restabelecer o fornecimento de energia em poucos segundos.

 

Pela iniciativa, a companhia já construiu 3,6 mil quilômetros de redes trifaseadas no Centro-Sul. Em todo o Paraná, 15,3 mil quilômetros já foram entregues. Entre os municípios beneficiados na região, destacam-se Prudentópolis, com 213 quilômetros concluídos; Ponta Grossa (Campos Gerais), com 204 km; Reserva (201 km); Palmeira (193 km) e Ortigueira (187 km), ambas nos Campos Gerais.

 

REDE ELÉTRICA INTELIGENTE – Outros R$ 55,3 milhões serão investidos no Rede Elétrica Inteligente, maior programa de smart grids do Brasil. A iniciativa, que já instalou 660 mil medidores inteligentes em todo o Paraná, começou a ser implementada em municípios do Sudoeste do Estado, seguiu para a Região Metropolitana de Curitiba e, no final de 2023, chegou à Região Centro-Sul. Atualmente, a companhia está instalando os novos medidores em Ponta Grossa, Irati, Prudentópolis, São Mateus do Sul e Rio Azul.

 

A modernização dos medidores é acompanhada por investimentos em automação na rede da distribuidora, formando um conjunto que permite ao cliente acompanhar o consumo em tempo real, além de agilizar o atendimento – tanto para pedidos rotineiros, como a ligação e religação de energia, quanto nos casos de desligamentos ocorridos após um temporal, por exemplo.

 

Os novos dispositivos tornam automática a leitura do consumo, informam diretamente o centro de controle da Copel sobre falhas de energia e permitem comandos remotos para restabelecer o fornecimento de energia em caso de desligamentos, otimizando a administração dos serviços de eletricidade.

 

Foto: Copel

Compartilhe essa matéria!

Receba as notícias do Portal Clique no celular!

Comentários

Notícias Relacionadas

ENERGIA

Copel instala medidores inteligentes no Centro-Sul, Campos Gerais e RMC

O programa Rede Elétrica Inteligente está levando soluções de automação do sistema para clientes em diversas regiões do Paraná. A troca do...

REGIONAL

Homem é preso em flagrante por corte de árvores nativas

Na terça-feira (27), Policiais Ambientais flagraram um homem, de 48 anos fazendo uso de motosserra em uma propriedade rural na localidade de...

FISCALIZAÇÃO

Polícia Ambiental apreende quase 24 mil metros de redes no período da piracema

A piracema, também conhecido como período de defeso, quando a prática da pesca sofre diversas restrições, teve início em 1º de novembro 2023 e...