Aperte enter para pesquisar

Esportes

Atleta de Irati conquista pódio em prova de triathlon

Kelly Ramos

-

16 de julho de 2021

Andre Dyniewicz durante a prova que conquistou o 3º na sua categoria. Foto: Arquivo pessoal

O atleta iratiense, Andre Dyniewicz, foi destaque em uma prova de triathlon ocorrida no último final de semana, em Caiobá, no Litoral do Paraná. Ele ficou em terceiro lugar em sua categoria, após um percurso que contou com 1.000 metros de natação, 50 quilômetros de ciclismo e 10 quilômetros de corrida.

 

De acordo com Andre, a prova foi transferida várias vezes, devido aos decretos de prevenção ao coronavírus, necessários para segurança dos participantes. Ele explica que não teve categoria elite e, sendo assim, atletas profissionais competiram junto com amadores, que é o seu caso. “Essa prova foi meu ápice. Melhor forma física. Me senti bem, em um nível muito avançado de força e capacidade cardiorrespiratória”, explica.

 

 

Na categoria que disputou havia 58 atletas, entre amadores e profissionais. Ele terminou como 18º colocado geral e em 3º na categoria por idade. “Pódio é algo engraçado. Você precisa mostrar em apenas 2 horas de prova, meses de treinamento. Então é uma descarga emocional tremenda. Várias vezes chorei!”, conta.

 

Além do amor pelo esporte, o apoio de amigos e familiares também incentivam Andre: “Fico feliz pelas mensagens que  recebo antes e depois das competições. Minha família, amigos, pacientes e até desconhecidos, pois de alguma forma deixo  ‘exemplo’ de dedicação, de saúde, de vontade de vencer, de ter metas. Hoje, em dias que as pessoas não tem muitos motivos para sorrir, eu faço do esporte esse motivo para mim e para quem está ao meu lado”.

 

TREINOS – Andre treina diariamente e conta que há quatro anos pratica o triathlon, com evolução é constante. “Comecei a subir no pódio depois que montei uma estrutura, com treinador, nutricionista, fisioterapeuta, clube de natação e assistência mecânica para a bike. Hoje, meu gasto é basicamente com treinos, mas no com começo foi alto”.

 

A sua maior dificuldade é tempo para treinar, pois concilia junto com a rotina diária de trabalho, que inicia à 6h, quando vai de Irati a Rio Azul, onde atua como médico na área rural do município. “Geralmente consigo treinar a noite, com frio. Mas, mesmo no inverno, estou na piscina nadando”, conta.

 

O seu próximo desafio será ainda maior, o que vai exigir maior volume de treinos. A prova será daqui um mês e terá 1.900 metros de natação, 90 quilômetros de ciclismo e 21 quilômetros de corrida.

Compartilhe essa matéria!

Receba as notícias do Portal Clique no celular!

Comentários

Notícias Relacionadas

OLIMPÍADAS

Olimpíada: delegação brasileira já conta com 90% dos atletas no Japão

A dois dias da cerimônia de abertura da Olimpíada de Tóquio, 270 dos 302 brasileiros classificados para a Olimpíada de Tóquio 2020 já estão...

FUTEBOL

Seleção feminina goleia China na estreia do Brasil na Olímpiada

A seleção brasileira de futebol feminino estreou com goleada de 5  a 0 contra a China, na Olimpíada de Tóquio (Japão), na manhã desta...

ESPORTE

Guarani busca alternativas para consolidar seu patrimônio

O Estádio Alberto Viante precisa consolidar a sua estrutura. Um dos maiores desafios da atual diretoria, liderada pelo presidente Moisés Neves é...